A Mancada

 

 

O Magrão e a “mina”, sempre! Só não sei te dizer se é sempre a mesma, mas isso pouco importa.

Lá vão os dois, para Sampa, a fim de umas novidades. Isso, no sábado à tarde porque no dia seguinte, se tiver sol, o programa é uma praia. Enquanto ele bate uma bola, ela se estende ao sol para avermelhar um pouco a carcaça e tirar aquele cheiro de bolor que atinge aqueles que não se expõe ao sol com alguma regularidade.

A capital é monumental, em matéria de novidades, especialmente para nós, aqui da periferia marítima.

E nessas saídas, eles sempre acabam encontrando alguma coisa nova que os encante e ele chega, no domingo pela manhã, nos contando as novidades com aqueles ares de quem sabe tudo.

Mas eis que, neste último domingo ele chegou meio calado, desenxabido mesmo. A gente que o conhece, logo percebe que alguma tinha  havido.

-E aí malandro! Como foi o dia em São Paulo?

-Cara, numa ótima!

-Vamos lá, conte!

-Ontem, eu e a mina descobrimos uma boca jóia. Tinha uma dica de uma amiga dela e nós fomos desencavar um lugar onde a gente pode tirar fotos, com aqueles ares de antigamente.

-Como é isso?

-Tem cenário e tudo o que for necessário para parecer que foi feito naquele tempo do onça; tu, sentado, a mulher em pé, com a mão no teu ombro. As roupas todas, daquele tempo.

-Jóia, jóia!

-Aí tu escolhes a cara que quer ter, bigode, cavanhaque, costeleta e, por aí a fora. Me enfeitei todo, parecia que ia trabalhar em novela. A roupa bem discreta, paletó cinza, chapéu coco, meti um cavanhaque e um bigode...

-Deve ter ficado muito legal.

-Daí, quando eu me toquei...malandro! Um cara estava usando a barba que eu queria e não tinha encontrado; tava ali,  sentado, bem do meu lado.

Falei com a mina e resolvi esperar. Mandei o cara passar na minha frente, porque eu ia tirar a foto depois.

Falei pra ele:

-Meu...vai tu, que eu deixo pra depois. Aí, tu me passas esta barba. Ela é muito legal, vai me dar a maior pinta de canalha.

Cara!...que furada! 

O bicho me olha com a maior cara de bronca e diz:

-Essa barba é minha, é natural!

-Já viu que eu fui embora sem foto nenhuma, né?

Carlos Gama. www.suacara.com

 

24 de janeiro de 2002 – 17:07 h

 

voltar