Clube dos Meninos

 

 

Menina não entra porque, menina é chapa fria.

Eu nem sei o que quer dizer isso, nem o meu neto de três anos de idade, que foi quem falou.

Anteontem, sábado à noite o meu filho ia saindo de carro, com o filho dele e resolveu perguntar a um dos cunhados se ele queria ir junto, ao supermercado.

Chiei na hora!

E a mim, ninguém convida?

Oh pai, eu não sabia que você estava a fim de sair. Vamos lá!

Troquei a bermuda, coloquei um calçado e fui no embalo deles.

Sentei-me no banco de trás, com os meus dois netos, que, por sinal me deram a maior canseira. Na disputa para ver quem colocava a cabeça no meu colo, era um tal de levar cabeçadas nas costelas. Parecia que estava num cercado, com um bando de cabritos espevitados.

No início eles iam quietinhos, sentados, ali atrás, junto comigo. Na frente iam os pais deles e tios de cada um.

Quando viramos a primeira esquina, Lucas, o mais velho dos meninos, olha em torno, e faz a seguinte observação:

-Carro legal é assim, só tem menino. O outro Gol fica pras meninas. Deduz-se que as meninas sejam as três tias, a mãe e a avó.

Os três adultos caíram na gargalhada. E isso abriu o espaço para as gracinhas dos dois meninos que, aí, não sossegaram mais.

No supermercado, então, uma loucura! Os dois, em pé em um carrinho tocado pelo meu filho, faziam um show à parte. Parecia estarem em cima de um trio elétrico e chamavam a atenção de todo o mundo. Um deles, clarinho, o Lucas, a quem eu chamo de iogurte (branco e azedo). O outro, moreninho, o Fernando, geralmente mais bem humorado.

Muita gente prestava atenção aos dois, até que uma mãe, atendendo ao insistente pedido da filha, pediu permissão e tentou colocá-la junto com eles, no carrinho, por sinal, enorme.

De repente me sai o Lucas com essa:

-Menina não entra, menina é chapa fria.

-Quem te ensinou isso? – pergunto.

-Não sei.  Mas, menino é chapa quente e menina é chapa fria, menina é chapa fria...

Carlos Gama. www.suacara.com

11 de fevereiro de 2002 – 16:17 h

 

Voltar